Qual idade ideal para levar meu filho ao fonoaudiólogo?

2018-09-19T20:05:34+00:0018 de setembro - 2018|Desenvolvimento Infantil, Fonoaudiologia|

Por que é importante conhecer os marcos de desenvolvimento da criança  e  diagnosticar ainda nos primeiros anos de vida caso ela apresente alguma dificuldade de comunicação?

No texto que publicamos na semana passada, Fonoaudiologia: o que é e como ela pode ajudar o meu filho? explicamos um pouco sobre o papel que os fonoaudiólogos desempenham no desenvolvimento infantil, e os inúmeros benefícios que o tratamento fonoaudiológico traz ao longo da vida.

Porém, muitos pais ainda têm dúvida sobre qual a idade ideal para levar os pequenos em uma consulta fonoaudiológica, se perguntando muitas vezes se não é “cedo demais”.

Para esclarecer algumas questões, vale lembrar que o campo de estudo da Fonoaudiologia vai além do estudo da fala, como é amplamente divulgado, e contempla também todos os elementos da comunicação humana, que estão presentes na vida das crianças antes mesmo deles aprenderem  as primeiras palavras.

Existem inúmeras desordens da comunicação, dentre elas podemos citar: o atraso na fala, Transtorno do Desenvolvimento de Linguagem (TDL), Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), Transtorno Fonológico, Apraxia de Fala na Infância (AFI), Transtorno da Comunicação Social (TCS). Essas dificuldades podem impactar negativamente a saúde e desenvolvimento das crianças,  gerando dificuldades futuras, principalmente no que diz respeito ao desenvolvimento socioemocional e na aprendizagem escolar.

Quando somos criança, principalmente nos 5 primeiros anos de vida, a nossa capacidade de aprender e se adaptar é maior, devido a chamada neuroplasticidade do cérebro. Isto é, a capacidade que cérebro tem de aprender, se adaptar e se moldar quando exposto a novas experiências. Por isso, o diagnóstico precoce aumenta as chances de sucesso do tratamento e dos estímulos, e torna o processo mais fácil na primeira infância, um período mais suscetível para a aquisição e desenvolvimento da linguagem e comunicação.

Quem convive diariamente com a criança deve estar atento aos marcos do desenvolvimento de fala e de linguagem, para saber como estimulá-la, para que ela adquira habilidades e seja capazde compreender e se expressar melhor.

Para conhecer um pouco mais sobre os principais marcos do desenvolvimento de linguagem das crianças, consulte o nosso texto Desenvolvimento da linguagem da criança: o que é esperado nos primeiros 5 anos.

Quanto maior a consciência sobre essas fases, mais fácil será perceber sinais em crianças que possam apresentar alguma desordem de comunicação. E o quanto antes houver um diagnóstico profissional, melhor será o prognóstico da criança.

Identificar quando algo não vai bem pode ser uma tarefa difícil, ainda mais na correria do dia a dia, onde nem sempre conseguimos nos dedicar o tempo que gostaríamos para os nossos pequenos. Buscar a ajuda de profissionais, como fonoaudiólogos, pode ajudar os papais e mamães na tarefa de identificar esses sinais. A terapia fonoaudiológica visa principalmente estimular o desenvolvimento da criança e gerar condições para que elas possam vivenciar o melhor da sua própria experiência de aprendizado, respeitando seu próprio tempo e limitações. Além disso, esses profissionais podem orientá-los sobre diferentes formas de estimular o desenvolvimento da linguagem das crianças dentro de casa.

O diálogo entre pais e filhos, por exemplo, tem um papel muito importante no desenvolvimento de fala e linguagem dos pequenos. Ao interagir com as pessoas que confia, a criança encontra os primeiros sinais de referência do que fazer e como se comportar. O vínculo emocional existente nesses diálogos, mesmo quando eles não são verbalizados,  fortalece o desenvolvimento infantil, permitindo que a criança cresça e se sinta confortável para se comunicar e influenciar positivamente o meio em que vive.

http://ocomecodavida.com.br/o-poder-das-palavras/

 

 

Referências:

  1. Rocha de Vasconcellos Hage, Simone, Netto Vaz Faiad, Lia, PERFIL DE PACIENTES COM ALTERAÇÃO DE LINGUAGEM ATENDIDOS NA CLÍNICA DE DIAGNÓSTICO DOS DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO – UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO – CAMPUS BAURU. Revista CEFAC [en linea] 2005, 7 (Octubre-Diciembre) : [Fecha de consulta: 13 de septiembre de 2018] Disponible en:<http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=169320507006> ISSN 1516-1846
  2. Fabiana C. Carlino, Fátima E. Denari, Maria da P. R. da Costa Programa de orientação fonoaudiológica para professores da educação infantil Distúrb. da Comun, São Paulo 23 (1): 15-23, abril 2011
  3. Letícia Pimenta Costa Spyer Prates1, Vanessa de Oliveira Martins1  Distúrbios da fala e da linguagem na infância Revista Médica de Minas Gerais 2011; 21(4 Supl 1): S54-S60

 

Sobre o Autor:

Danira Tavares
Mestre em Ciências da Reabilitação pela Faculdade de Medicina da USP (2015). Formada em Fonoaudiologia pela Faculdade de Medicina da USP (2011) Possui experiência com atendimento clínico há 6 anos. Atua no Consultório FonARC - Fonoaudiologia.

Um Comentário

  1. Maria 25 de setembro - 2018 em 12:15 - Responder

    Muito legal essa matéria!
    Levei meu filho a fono pela primeira vez aos 4 anos mas teria ajudado muito ter levado antes. As crianças conseguem aprender muito rápido mesmo!

Deixar Um Comentário