Na educação especial, professores dizem que rotinas, suporte e colaboração próxima das famílias podem ajudar na transição para o ensino à distância durante a quarentena.

Por todo o país, escolas infantis estão tentando se adaptar ao fechamento abrupto durante o coronavírus. Mas enquanto todos os professores estão tendo dificuldades com o novo normal, os professores de educação especial, em particular, estão enfrentando desafios incomparáveis na transição do ensino para dentro de casa, adaptado às necessidades de cada aluno.

Quando se fala em “educação especial”, se refere à uma série de idades, interesses, habilidades e dificuldades, as quais são individuais para cada criança que necessita desse tipo de educação e é justamente isso que ecoa na cabeça dos professores: como eles podem dar suporte suficiente para cada um dos estudante, que tem necessidades diferentes para aprender?

__________________________________________________________________________________

Conteúdos Relevantes

__________________________________________________________________________________

Diferente de produzir um plano online para a classe toda, os professores de educação especial agora têm a tarefa de, à distância, desenvolver planos exclusivos para cada aluno que se alinhem com a grade curricular. Um grande obstáculo, dizem os professores, é determinar se a aprendizagem e os serviços que os alunos estão acostumados a receber na escola podem ser oferecidos em ambiente doméstico ou por meio de recursos digitais. Os professores no geral também questionam o quanto os pais e/ou responsáveis serão capazes de ajudar, já que estudantes com necessidades especiais geralmente precisam de uma mentoria especializada e atividades sensoriais para manter eles engajados. Mas, embora a nova realidade seja uma mudança repentina e, de certa forma ruim, os pedagogos de educação especial já têm algumas ideias sobre como tirar o melhor proveito dela. 

 

PLANEJANDO O ENSINO EM CASA 

Como é em casa?
As ligações para as famílias desde o início podem dar aos professores uma noção da configuração doméstica de cada aluno, perguntando coisas como:

  • Os pais ficarão em casa o dia todo?
  • Estarão trabalhando durante esse tempo em casa?
  • Há internet disponível?
  • Quais aparelhos eletrônicos a criança tem acesso?
  • Há algum espaço na casa para realizar atividades motoras ou sensoriais?

Os professores podem ajudar os pais a mapear planos individualizados utilizando os recursos disponíveis.

 

Recalibrar metas e objetivos

Depois de entender a circunstância de cada aluno, é indicado que os professores avaliem quais metas do plano curricular são possíveis de serem atingidas no novo ambiente, e então, trabalhar com as famílias para dividir essas metas em períodos, para melhor gerenciamento.

 

Envolva-se proativamente (mas seja flexível)

Os pais vão continuamente precisar de ajuda, então o ideal é conversar regularmente com as famílias, seja por telefone, vídeo conferencia ou e-mail, para que elas se sintam apoiadas.

Tente ser mais flexível com as horas de trabalho nesse período e torne-se disponível através de diferentes modos de comunicação para se ajustar às diferentes circunstâncias familiares. Muitos alunos têm pais trabalhando e que não estão em casa com eles, por isso fica mais difícil concluir as tarefas.

 

METAS E EDUCAÇÃO DOS ALUNOS

A suspensão de uma rotina regular pode ser especialmente perturbadora para alunos com necessidades especiais, afirmou nosso público-alvo – portanto, professores e famílias devem trabalhar juntos para criar atividades de aprendizado em casa que se assemelhem ao dia escolar.

Enfatizar a Estrutura

A maioria dos estudantes especiais se dão melhor com uma estrutura e rotina. Eles também se beneficiam em ter professores disponíveis para instrução, esclarecimento e foco constantes. Ficando em casa, mesmo com o mesmo volume de lições da escola, o foco tende a diminuir e pode levar a um esforço de trabalho inconsistente. Os profissionais recomendam criar uma lista de atividades diárias – dividas em pequenas “sessões” com diversas pausas – que, se possível, siga uma rotina parecida com a que as crianças tinham na escola. Pelo fato de muitos estudantes com necessidades especiais respondem bem a dicas visuais, quadro de horários (físico ou digital) com imagens de atividades que digam à criança o que ela deve fazer.

Temos um quadro de rotinas perfeito para você baixar gratuitamente, só clicar aqui!

Se a criança estuda em uma escola com modelo de salas ambiente, procure fazer cada uma das atividades em um lugar ou cômodo diferente da casa, já que elas estão acostumadas a trocar de sala de acordo como tema de aprendizado.

 

Comunique-se Claramente com os Pais ou Responsáveis

Os especialistas aconselham a criação e vídeos e materiais escritos para os pais ou responsáveis, a fim de ensinar eles como preparar e ajudar as crianças em diversas atividades. Os professores também podem pensar em maneiras de utilizar objetos do dia-a-dia para ensinar habilidades, como salgadinhos, palitos de dente ou moedas, os quais podem ser utilizados para trabalhar conceitos de matemática. Ainda assim, pais e professores não devem achar que tudo na escola pode ou deve ser replicado. Não há nenhum pai perfeito que consiga criar uma “experiência completa de escola” dentro de casa, ainda mais para uma educação especial à distância, justamente por conta das limitações de recursos e tempo. Não há problema em não substituir a escola e, certamente, não há problema em não planejar todas as atividades minunciosamente.

 

Satisfazer as Necessidades Sensoriais e de Movimento

Alunos com necessidades especiais podem precisar de modificações e apoios sensoriais adicionais para ajudá-los a aprender e crescer. Os pais podem utilizar objetos simples como massinha de modelar colorida e plástico bolha ou até mesmo jogos de raciocínio como Jenga, no caso de a criança precisar gastar energia.

Escrever ou desenhar com creme de barbear pode aliviar a tensão enquanto melhora o desenvolvimento da linguagem. Até mesmo abraçar, respirar fundo ou deixar a criança correr pelo quintal podem ajudar.

 

Resumindo, mantenha sua cabeça equilibrada e faça o melhor que for possível dentro das circunstâncias desafiadoras atuais e, principalmente, não se preocupe ou se julgue, pois tudo vai passar!

 

 

Traduzido e editado.

Fonte – Edutopia

Créditos de imagem – Freepik